expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Fones de Ouvido: a história da reprodução musical

Surpreendentemente, nem todo mundo quer ouvir a música que você gosta. Elas podem perder a concentração e se irritar. O mesmo deve acontecer com você em relação ao gosto musical alheio por vezes. Por essas e muitas outras razões, os fones de ouvido são uma necessidade imperativa em nosso mundo. Muito tempo antes de Steve Jobs produzir earbuds brancos e Dr. Dre entrar no jogo, as pessoas já surravam seus canais auditivos. O texto abaixo explica, cronologicamente, como tudo aconteceu.
Imagem
1881 – Muito antes do MP3, dubstep e contas no Spotify, os fones de ouvido tinham muito pouco a ver com música. Nos anos 1880, os primeiros fones de ouvido [ou pelo menos seus ancestrais mais antigos] eram usados por telefonistas. Tratava-sede apenas uma saída, monaural, que se apoiava no ombro do usuário e pesava mais de 5 quilos [meio tipo que como se você colocasse um rádio grande no seu ombro].
Imagem
1895 – Graças ao sistema Electrophone, em 1895 as pessoas começaram a poder ouvir ao som insano de seus teatros de ópera locais do aconchego de seus lares. Assinantes desse caro serviço ouviam, através de fones que mais pareciam estetoscópios, à música que pessoas bastante corpulentas faziam em um palco a quilômetros de suas casas.
Imagem
1910 – Nathaniel Baldwin começou a fabricar o primeiro fone de ouvido moderno. Ele os produziu em sua cozinha e os vendeu todos para a marinha dos EUA. Essa foi a primeira vez em que um par de latas pareceu com algo que você vê hoje. Baldwin nunca os patenteou, contudo.
Imagem
1937 – O modelo DT-48 da Beyerdynamic tornou-se o primeiro fone de ouvido dinâmico a chegar ao mercado. Apesar de ele ter saído algumas décadas antes dos fones eletroestáticos surgirem, esse foi um enorme salto à frente na evolução do invento. Os fones de ouvido dinâmicos são, até hoje, o tipo mais popular do mercado.
Imagem
1949 – Concentrando-se no design, a AKG produziu seu primeiro par de fones de ouvido, o K120. Se eles voltassem a ser fabricados hoje, eles ainda venderiam muito bem. Esse modelo, assim com outros mais populares que o seguiram, foram o suficiente para fazer com que a AKG se desligasse do ramo de equipamento foto-cinematográfico e se focasse apenas no áudio.
Imagem
1958 – John C. Koss mudou o conceito de fones de ouvido de um modo que deixaria Dr. Dre com inveja. Em 1958, Koss criou os primeiros fones de ouvido estéreo [os Koss SP-3] e deslanchou um assalto aos canais auditivos da população. Ao longo das décadas seguintes, Koss dominaria a indústria de fones de ouvido, e ele fez tudo isso sem jamais ter pisado em uma faculdade.
Imagem
1959 – Em uma exposição em Tóquio, a Stax estreou o primeiro par de fones de ouvidos eletrostáticos do mundo. O modelo SR-1 começaria a ser produzido em massa um ano depois. Eles são extremamente raros hoje em dia, assim como um usuário de fones do presente que não sofra de perda auditiva.
Imagem
1968 – Uma década depois de apresentar o primeiro fone de ouvido estéreo, a Koss lançou o primeiro modelo eletrostático fabricado nos EUA. O modelo ESP-6 pesava cerca de 3 quilos, ou seja, não era como usar um par de earbuds, mas eram um enorme avanço se comparados às estrovengas criadas um século antes.
Imagem
1979 – Se você tivesse que escolher o acontecimento mais importante na história dos fones de ouvido, seria difícil bater o lançamento do Walkman da Sony. De repente, os fones de ouvido tinham que ser portáteis. Inclusos com a compra do primeiro Walkman estavam os fones MDL-3L2 e tudo que você precisava para andar por aí ouvindo seu cassete de “London Calling” estava ali.
Imagem
Anos 80 – Para o homem que não queria estragar seu penteado com o fone, os anos 80 ofereceram a primeira solução. Tanto o earbud como o fone ‘in-ear’ entraram em cena nos anos 80, apesar de não alcançarem seu pico de popularidade até que Steven Paul Jobs pusesse a indústria de cabeça pra baixo anos depois.
Imagem
1997 – Se você quisesse deixar seu cabelo impecável, mas também odiasse o fato de os earbuds não conseguiram isolar totalmente o som, a Sony achou que você poderia gostar de um par de fones que se apoiava na nuca. Não vingou.
Imagem
2000 – Bebês chorando e pessoas roncando alto finalmente acharam um adversário à altura quando a Bose concebeu a linha QuietComfort. Apesar de pilotos de avião já usarem tecnologia de cancelamento de ruído fazia décadas, agora os passageiros também podiam usufruir de considerável conforto em voos barulhentos [ou em frente da TV com uma esposa falante demais].
Imagem
2001 – O iPod mudou todo o universo da música. Tornou-se comum ver várias vezes por dia pessoas com um fio branco saindo de seus bolsos e indo até seus ouvidos. Desde seu surgimento em 2001 até hoje, mais de 300 milhões de iPods já foram vendidos com seus respectivos pares de earbuds.
Imagem
2008 – O rapper Dr. Dre e Jimmy Lovine juntaram forças, e junto com a Monster, criaram o modelo Beats By Dre. Desenhados para reforçar as frequências graves e com qualidade de áudio otimizada [não que essa última tenha sido necessariamente atingida]. A linha Beats logo abocanhou uma grande fatia do mercado e agora aparece nos ouvidos de quase todo jogador da NBA quando eles saem do ônibus em direção ao vestiário.
Imagem
2012 – Fones de ouvido adquiriram contornos de estilo e moda tanto quando de qualidade de som. Isso ficou bastante evidente quando Lil Wayne apareceu trajando esse par de Beats de 1 milhão de dólares.


Fonte: Fones de Ouvido: a história da reprodução musical introspectiva http://whiplash.net/materias/curiosidades/192728.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook#ixzz2lPrhyZP2

Nenhum comentário :

Postar um comentário